Pesquisar

Se quiser, digite seu e-mail para receber atualizações deste blogue:

Se quiser, digite seu e-mail para receber atualizações:

domingo, 26 de abril de 2015

O Conto da Fonte


(José de Arimatéia, no monte Tabor, em reunião em que participava Jesus, então com 18 anos de idade, Nicodemos, Nicolás de Damasco e anciãos Essênios. Em "Harpas Eternas", de Hilarión do Monte Nebo/Josefa Rosalía Luque Alvarez, Editora Pensamento. São Paulo. 11a edição. 2011)

"Dois homens chegam à fonte para beber. A linfa cristalina e serena reflete suas imagens no límpido da superfície. Ajoelham-se sobre o musgo e inclinam a cabeça até tocar com os lábios a água e bebem. Chegam em seguida outros, montados em animais e, para não molestarem-se em apear, entram com eles, removendo o lodo do fundo, e a água se torna turva.

- Que água mais desagradável a desta fonte! - exclamam eles.

Assim ocorre também com a Divina Sabedoria, fonte de Luz e Verdade eternas. Muitos se aproximam para beber, mas nem todos chegam a Ela com a túnica limpa, e muitos chegam montados nos animais das paixões, dos egoísmos humanos e dos preconceitos que trouxeram de outros ambientes e de outras ideologias."



Um comentário:

  1. Pois... talvez seja mais difícil "desmontar os nossos cavalos" quando o orgulho avassala a alma e o coração...
    Para aprender, é preciso admitir que nada sabemos.

    ResponderExcluir