Pesquisar

Se quiser, digite seu e-mail para receber atualizações deste blogue:

Se quiser, digite seu e-mail para receber atualizações:

quarta-feira, 12 de março de 2014

Na Próxima Dimensão - Capítulos 07 e 10 - O Desencarne de Chico Xavier

(Seguem-se trechos do relato realizado por Inácio Ferreira, a respeito dos fatos por ele presenciados no plano espiritual, quando do desenlace de Chico Xavier)

Capítulo 07


"Aproximando-nos quanto possível, notamos a formação de duas filas imensas, constituídas de irmãos encarnados e desencarnados, que reverenciavam o companheiro recém-liberto do jugo opressor da matéria: eram espíritos, no corpo e fora dele, extremamente gratos a tudo que haviam recebido de suas mãos (...)"

"Não registramos nas imediações, é bom que se diga, um só espírito que ousasse se aproximar com intenções infelizes. Os pensamentos de gratidão e as preces que lhe eram endereçadas formavam um halo de luz protetor que tudo iluminava num raio de cinco quilômetros; porém essa luz amarelo-brilhante contrastava com a faixa de luz azulínea que se perdia entre as estrelas no firmamento."

"Uma música suave, cujos acordes eu desconhecia, ecoava entre nós, como se invisível coral de vozes infantis, volitando no espaço, tivesse sido treinado para aquela hora."

"(...) creio sinceramente que, em nosso Plano, jamais houve uma recepção semelhante a um espírito que tivesse deixado o corpo após finda a sua tarefa no mundo; com exceção do Cristo e de um ou outro luminar da Espiritualidade, ninguém houvera feito jus ao aparato espiritual que se organizar em torno do desenlace de Chico Xavier."

Capítulo 10


"(...) perfumada aragem começou a soprar, balsamizando o ambiente. De onde será que provinha aquele suave perfume que, aos poucos, se intensificava, impregnando-nos o corpo espiritual? Tínhamos a impressão de que, caindo de Esferas Resplandecentes, aquele orvalho celeste, constituído de diminutos flocos luminosos, antecedia o momento em que o espírito Chico Xavier seria conduzido à ignota região da Vida Sem Fim."

"Gradativamente, cinco entidades foram se fazendo visíveis para nós (...) Os cinco espíritos, que não posso lhes dizer que tenham assumido forma propriamente humana, foram sendo identificados por nós: eram Bezerra de Menezes, Emmanuel, Eurípedes Barsanulfo, Veneranda e Celina, a excelsa mensageira de Maria de Nazaré."

"(...) Veneranda e, especialmente, Celina nos pareciam dois anjos alados"

"(...) uma Luz indescritível, descendo por aquele leque iluminado que ligava a Terra ao Infinito - a faixa de luz que ali se instalara logo após ter sido armado o velório no "Grupo Espírita da Prece" -, uma Luz que para mim, era muito superior à luz do próprio Sol e que me acionava a memória para a lembrança da visão que Paulo teve do Cristo, às portas de Damasco, repetiu com indefinível ternura:

- Vinde a mim, todos os que andais em sofrimento e vos achais carregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve."

"Aquela Luz, que se humanizava parcialmente para que pudéssemos vê-la, estreitou Chico Xavier ao peito e depositou-lhe um ósculo santo na fronte e, em seguida, partiu, levando-o consigo (...)"


Nenhum comentário:

Postar um comentário