Pesquisar

Se quiser, digite seu e-mail para receber atualizações deste blogue:

Se quiser, digite seu e-mail para receber atualizações:

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

O Evangelho Segundo o Espiritismo - Capítulo IV - 5 a 9 - Ninguém Poderá ver o Reino de Deus se Não Nascer de Novo

Ninguém Poderá ver o Reino de Deus se Não Nascer de Novo


(Jesus e Nicodemus. Óleo Sobre Tela - John La Forge - Smithsonian American Art Musem)


5. Ora, havia um homem entre os fariseus, chamado Nicodemos, senador dos Judeus - que veio à noite encontrar com Jesus e lhe disse: Mestre, sabemos que vieste da parte de Deus para nos instruir como um doutor, porque ninguém poderia fazer os milagres que fazes, se Deus não estivesse com ele.
Jesus lhe respondeu: Em verdade, em verdade, eu te digo: Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.

Disse-lhe Nicodemos: Como pode nascer um homem, já sendo velho? Pode tornar a entrar no ventre de sua mãe para nascer uma segunda vez?

Jesus lhe respondeu: Em verdade, em verdade, eu te digo: Se um homem não renasce da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. - O que é nascido da carne é carne e o que é nascido do Espírito é Espírito. - Não te admires de que eu te haja dito ser preciso que nasças de novo. O Espírito sopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde ele vem, nem para onde vai: o mesmo se dá com todo homem que é nascido do Espírito.

Respondeu-lhe Nicodemos: Como pode isso acontecer? Disse-lhe Jesus: Pois quê! és Mestre em Israel e ignoras estas coisas? Em verdade, em verdade, eu te dito, que não dizemos senão o que sabemos e só damos testemunho do que temos visto. Entretanto, não aceitas o nosso testemunho. - Mas, se não me credes quando vos falo das coisas da Terra, como me crereis, quando vos falar das coisas do céu (S. João, 3:1 a 12.)

6. A ideia de que João Batista era Elias e de que os profetas podiam reviver na Terra se encontra em muitas passagens do Evangelho, notadamente nas acima reproduzidas (itens 1 a 3 -> clique AQUI para reler). Se fosse errônea essa crença, Jesus não teria deixado de combatê-la, como combateu tantas outras. Longe disso, Ele a sanciona com toda a sua autoridade e a põe por princípio e como condição necessária, quando diz: Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo. E insiste, acrescentando: Não te admires de que eu te haja dito ser preciso que nasças de novo.

7. Estas palavras: Se um homem não renasce da água e do Espírito foram interpretadas no sentido da regeneração pela água do batismo. O texto primitivo, porém, dizia simplesmente: não renasce da água e do Espírito, ao passo que em algumas traduções as palavras - do Espírito - foram substituídas pelas seguintes: do Santo Espírito, o que já não corresponde ao mesmo pensamento. Esse ponto capital ressalta dos primeiros comentários feitos sobre o Evangelho, como se comprovará um dia, sem possibilidade de equívoco (5).

8. Para se compreender o sentido verdadeiro dessas palavras, é preciso igualmente se atentar na significação do termo água, que ali não fora empregado na acepção que lhe é própria.

Os conhecimentos dos Antigos sobre as ciências físicas eram muito imperfeitos. Eles acreditavam que a Terra havia saído das águas e, por isso, consideravam a água como o elemento gerador absoluto. Assim é que no Gênesis se lê: "O Espírito de Deus era levado sobre as águas: flutuava sobre as águas; - Que as águas que estão debaixo do céu se reúnam em um só lugar e que apareça o elemento árido; - Que as águas produzam animais vivos que nadem na água e pássaros que voem sobre a terra e sob o firmamento".

Segundo essa crença, a água se tornara o símbolo da natureza material, como o Espírito era o símbolo da natureza inteligente. Estas palavras: "Se o homem não renasce da água e do Espírito, ou em água e em Espírito", significam pois: "Se o homem não renasce com seu corpo e sua alma". É nesse sentido que foram compreendidas inicialmente.

Tal interpretação se justifica, ademais, por estas outras palavras: O que é nascido da carne é carne e o que é nascido do Espírito é Espírito. Jesus estabelece aí uma distinção positiva entre o Espírito e o corpo. O que é nascido da carne é carne indica claramente que só o corpo procede do corpo e que o Espírito é independente do corpo.

9. O Espírito sopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde ele vem, nem para onde ele vai, pode-se entender que se trata do Espírito de Deus, que dá a vida a quem Ele quer, ou da alma do homem. Nesta última acepção - "não sabes de onde ele vem, nem para onde vai" - significa que ninguém sabe o que foi, nem o que será o Espírito. Se o Espírito, ou alma, fosse criado ao mesmo tempo que o corpo, saber-se-ia de onde ele veio, pois conheceríamos o seu começo. Em todo caso, essa passagem é a consagração do princípio da preexistência da alma e, por conseguinte, o da pluralidade das existências.
_________________________________________________

(5) Nota de Allan Kardec: A tradução de Osterwald está conforme o texto primitivo. Diz: Não renasce da água e do Espírito; a de Sacy diz: do Santo Espírito; a de Lamennais: do Espírito Santo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário